Solidão, depressão, Facebook e tecnologia: qual a ligação entre eles?

Você parou para pensar como a tecnologia e as redes sociais mudaram a dinâmica da comunicação? E como eles mudaram a sua autoestima, personalidade e modo de interagir com os outros?

Estamos  super conectados, entendendo de vários assuntos, sabendo o que está acontecendo em vários lugares do mundo ao mesmo tempo, temos vários ‘amigos’ e ‘seguidores’.  Mas pare para pensar:

  • Quantas dessas pessoas são realmente seus amigos?
  • Qual foi a última vez que você leu um artigo e não apenas escaneou procurando os pontos principais?
  • Como o seu uso das redes sociais afeta o seu comportamento?

Vários estudos  já foram feitos sobre a influência das mídias sociais em nossa vida,  vale a pena destacar alguns dados e questionamentos levandos pela mídia.

O Facebook está nos levando a solidão?

matéria de capa da The Atlantic questiona o assunto e apresenta dados pra explicar como o gigante das redes sociais interfere na nossa vida.

Para o autor do artigo, a cena que ilustra a relação do Facebook com a solidão e que muitos de nós podemos nos identificar são os momentos finais do filme A Rede Social em que Mark Zuckerberg senta em uma sala vazia esperando que a sua ex-namorada responda ao pedido de amizade no Facebook. E ele fica o olhar na tela, esperando uma resposta.

Assista ao vídeo com outros olhos e tente ver a solidão de Zuckerberg nessa cena.


No artigo, ele se aprofunda no assunto, explicando a diferença entre estar sozinho e a solidão, além de falar sobre sobre felicidade, depressão e narcisismo.

O que é ser ‘cool’? Sai o conhecimento obscuro, entra o conhecimento popular

Em artigo do New York Times,  Alexandra Molotkow explica como o conceito de ser ‘cool’ ou bacana mudou no mundo da música. Antes, todos queriam saber daquelas bandas que não foram descobertas, que ninguém conhecia. Ela afirma que o novo modelo de ‘cool’ hoje em dia é o que é popular, são os vídeos virais, é saber um pouco de cada coisa.

Antes, ela e seus amigos sabiam de tudo sobre um estilo de música ou banda. Hoje em dia, isso não é o bastante. Somos forçados a saber um pouco de tudo superficialmente.

Outros cases e estudos

Esse tema sempre volta a tona quando novos estudos são feitos e novos pensadores falam sobre o assunto. Os Inovadores ESPM já falaram sobre o assunto em outras ocasiões, chamando atenção para estudos relevantes sobre o cérebro pós-moderno e as redes sociais e como a internet mudou a forma de nos relacionarmos. Confira também esse infográfico que fala sobre como o Facebook pode te afetar em vários âmbitos da sua vida.

Fonte: Mashable

Por Fernanda Bartels 

Colaboração de Gil Giardelli e equipe Inovadores ESPM